Às vésperas no início oficial da campanha eleitoral de 2022, recomendo a leitura de dois estudos sobre o uso de redes sociais e plataformas mensageiras no disparo de notícias falsas e radicalização política.

O primeiro, do InternetLab, avalia a distribuição de conteúdo em grupos do Telegram, de janeiro a julho de 2022, e chega a conclusões interessantes sobre como o ecossistema funciona.

O segundo vem do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital, da Universidade Federal da Bahia, e discorre sobre como algumas redes sociais não têm cumprido com o que foi acordado com o Tribunal Superior Eleitoral no combate à desinformação.

11 Unique Designs to Inspire your Next Dashboard – a lista do Ikigai Labs tem ótimos exemplos de como construir um dashboard sobre diversas temáticas, de cinema à quantidade individual de exercícios físicos.

Beyond the Cloud: 4 Visualizations to use instead of Word Cloud – quatro formas alternativas para visualizar a importância de palavras em um texto ou conjunto de textos que não a boa e velha nuvem de palavras que, de fato, não consegue exibir certas informações como hierarquia ou conexão entre termos.

Scrape Twitter Without Limits Using Twint – o tutorial explica de forma simples como usar a biblioteca Twint para fazer pesquisas no Twitter. Diferentemente do Tweepy, a biblioteca que mais uso, o Twint não usa a API do Twitter, ou seja, promete uma escuta sem os limites impostos pela interface da plataforma. Problemas: não tem pesquisa do streaming, não faz a escuta “ao vivo”, é compatível apenas com a versão 3.6 do Python.

How to Scrape Tweets With snscrape – outro tutorial e outro método para monitorar o Twitter, desta vez com a biblioteca snscrape, uma total novidade para mim. A biblioteca, diferentemente do Tweepy e Twint, pode fazer pesquisas também no Facebook, Instagram, Telegram e outras. Está, no entanto, sem desenvolvimento ativo há dois anos.

(Visited 10 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta